Entrevista Dra. Karina Lani Silva

Tecnologista da Plataforma Multiusuário de Citometria de Fluxo do Centro de Pesquisa do INCA (Instituto Nacional de Câncer)

Customer Interview Portrait Dra. Karina Lani Silva

Entrevista Dra. Karina Lani Silva

Tecnologista responsável pela Plataforma Multiusuário de Citometria de Fluxo do Centro de Pesquisa do Instituto Nacional de Câncer (INCA) desde 2011. Possui Bacharelado em Ciências Biológicas (Modalidade Médica) pela Universidade do Rio de Janeiro (UNIRIO) (1999), Especialização em Patologia Clínica pela Universidade Federal Fluminense (UFF) (2002), Mestrado em Ciências Morfológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (2004), Doutorado (2009) e Pós-Doutorado em Oncologia pelo INCA (2009-2011).


Profissionais como a Dra Karina, em parceria com a BD, contribuem para o avanço da ciência provendo assessoria aos usuários de diferentes grupos do INCA na utilização dos aparelhos da Plataforma de Citometria de Fluxo Multiusuário.

1) Há quanto tempo você trabalha com Citometria de Fluxo e qual principal interesse na metodologia?

Dra. Karina: O meu primeiro contato com a citometria de fluxo foi em 1999 durante o meu estágio de Iniciação Científica no Laboratório de Hematologia Celular e Molecular do Instituto Nacional de Câncer. Nessa época, eu utilizava o BD FACSCan para avaliar a expressão e a atividade funcional de proteínas relacionadas a resistência a múltiplas drogas em amostras de sangue de pacientes com diversos tipos de leucemias e em linhagens leucêmicas. Além disso, utilizávamos a citometria para avaliação de indução de apoptose por quimioterápicos nessas células, bem como avaliação do ciclo celular e da ploidia. Portanto, dentre outras técnicas utilizadas no estudo, a citometria de fluxo foi a metodologia mais utilizada. E assim foi durante toda a minha formação acadêmica... Em 2011, assumi o cargo de tecnologista na área de citometria de fluxo no Laboratório de Biologia Celular chefiado pelo Dr. João Viola, supervisionando a Plataforma de Citometria de Fluxo Multiusuário que atende a todos os pesquisadores, pós-graduandos e alunos do INCA. Desta forma, além da parte administrativa de aquisição de insumos, de controle de qualidade e manutenção dos citômetros (BD FACSCalibur e BD Accuri C6), assessoro os usuários na utilização dos aparelhos, nas diferentes aplicações e técnicas e nas análises dos dados. Assim, estou sempre em contato com novos desafios.

2) Qual a importância de trazer um Cell Sorter para a plataforma de citometria do centro de pesquisas INCA?

Dra. Karina: O objetivo da nossa plataforma multiusuário é dar acesso a qualquer pesquisador que necessita da citometria para responder as suas questões. Atualmente, diversos projetos realizados no INCA necessitam de enriquecimento ou isolamento de determinada população celular (ou de uma única célula) seja para ensaios funcionais, seja para análises moleculares. Entretanto, ainda não dispomos de um Cell Sorter que atenda a esses usuários e esses sortings são realizados fora da nossa instituição. Acredito que a aquisição de um Cell Sorter nos trará independência para realizar os estudos dos pesquisadores/colaboradores do INCA, além de nos trazer economia de tempo e recurso financeiro.

3) Quais são os principais atributos que um Cell Sorter deve possuir para se adequar a uma plataforma multiusuário e também potencializar o acesso de diferentes usuários?

Dra. Karina: Para se adequar à nossa plataforma, precisamos de um aparelho de alta performance, que produza resultados reprodutíveis, mas que seja acessível aos diferentes perfis de usuários. O nosso objetivo é que os usuários sejam capazes de utilizar o aparelho de forma independente. Além disso, o Cell Sorter deve ser compacto e ter um custo que caiba dentro do nosso orçamento.

Customer Interview Dra Silva FACSMelody

4) Conte-nos como foi sua experiência com o BD FACSMelody?

Dra. Karina: A nossa experiência com o BD FACSMelody foi ótima. Durante as semanas em que o aparelho ficou conosco fizemos diversos experimentos com diferentes tipos celulares. Fomos capazes de separar desde pequenos linfócitos murinos até grandes células tumorais com alta pureza, eficiência e reprodutibilidade entre os experimentos. As células separadas pelo BD FACSMelody também apresentaram ótima viabilidade pós-sorting. Nenhum sinal de sofrimento celular foi observado e as células aderentes foram capazes de aderir às placas de cultura em poucas horas. Isso foi fundamental para nós, pois a maioria dos nossos experimentos requer cultivo após a separação. Além disso, todo o processo de inicialização do sorter é bastante rápido e prático. A automatização de todo o start up nos poupa bastante tempo. O software também é amigável e intuitivo. O BD FACSMedody se mostrou um equipamento bastante estável.

5) A partir deste projeto, houve maior proximidade empresa-laboratório, qual impacto disto no trabalho do grupo?

Dra. Karina: Desde que assumi o cargo na área de citometria de fluxo, sempre tive um ótimo relacionamento com a BD. Com o projeto de demonstração do BD FACSMelody, estreitei ainda mais o meu relacionamento com a equipe BD. Todos os funcionários envolvidos no projeto foram extremamente profissionais e pude compartilhar experiências com as diferentes áreas envolvidas. Diferentes grupos do INCA foram beneficiados durante a estada do equipamento na instituição, o que pode se desdobrar em algumas publicações. O período de experiência com o BD FACSMelody foi bastante proveitoso.


Saiba Mais sobre o BD FACSMelody


Este depoimento foi concedido pela pesquisadora aqui identificado a título espontâneo e gratuíto. Sendo certo que, nenhum pagamento e/ou benefício de qualquer natureza foi ou será devido ao pesquisador em razão deste depoimento.